Tradutor

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Super Cup da Europa; Choque de titãs!


Depois das fortes emoções e analisando com mais calma este jogo entre o Barcelona e o FCPorto, só nos resta afirmar que o clube Português surpreendeu muita e boa gente, e porque não dize-lo todo o Mundo.
A primeira parte deste jogo, foi jogada por 2 excelentes equipas, num campo de futebol muito mal preparado para o nível de ambas as equipas, e que se veio a deteriorar ainda mais com o passar do tempo.
Depois, bem depois entrou em campo a sorte e a falta dela. Apesar de não ter todos os seus melhores jogadores disponíveis para jogarem este desafio, já que Falcao, seguiu para Madrid e Álvaro Pereira, está agendado para o Chelsea (?), Mesmo assim o FCPorto entrou a pressionar forte, obrigando o Barcelona a cometer erros atrás de erros. Foram sucessivos os lances em que o Barcelona se viu obrigado a enviar consecutivamente as bolas para as linhas laterais, sem capacidade de construção do seu jogo no meio campo com as suas rápidas desmarcações para o ataque. O FCPorto jogou a todo o campo com uma entreajuda tremenda entre os seus jogadores, já que as estrelas estavam todas ou quase todas no campo adversário.
Num jogo tremendamente equilibrado, foi preciso um erro individual para desequilibrar a balança que teoricamente e antes do início do desafio, estava completamente inclinada para o Barcelona. Quem diria, que Valdez guarda redes do Barcelona, teria uma palavra a dizer neste desafio, com as defesas que efectuou a remates de Moutinho e de Guarim.
O FCPorto quando tinha a bola, foi muito pouco incisivo na rapidez de execução e no caminhar para a baliza adversária. Existe um lance já no fim da primeira parte, em que Kleber que teve a sorte de receber uma bola numa posição em que estava completamente isolado, e em vez de fazer aquilo que o Messi tinha feito nos minutos anteriores, ficou paralisado e na dúvida se estaria ou não em fora de jogo, perdendo tempo de resposta e a bola, quando Hulk já chegava a toda a velocidade para tabelar com o colega. A este nível de disputa tão elevado, a falta de preparação para tomar uma decisão em poucos segundos, nota-se e de que maneira nos resultados finais. Por isso um vale, dizem as más-línguas 200 milhões e outro, custou 5 milhões quando jogava no Marítimo.
Vitórias morais em futebol não existem, mas é com jogos destes e com a resposta que o FCPorto deu hoje em campo, que se forjam as grandes equipas, e se modelam novos jogadores que a breve trecho podem vencer mais provas e valer mais uns milhões para os cofres da Sad do FCPorto.
Quanto ao árbitro, que até tinha começado muito bem, não conseguiu aguentar a pressão que o FCPorto colocou ao jogo do Barcelona, e resolveu ser peça importante e ter uma mão no desafio, com decisões erradas que prejudicaram e de que maneira o clube da cidade do Porto. Como dizia o outro…Não havia necessidade!
Nesta crónica gostaria de deixar a nossa última referência para Vítor Pereira. Para quem tinha dúvidas das suas capacidades como treinador principal da equipa, deve-as ter dissipado de todo após este jogo. Por isso os nossos parabéns, apesar da derrota. Quem deve estar tremendamente pasmado com este desfio, deve ser Vilas Boas, por tudo o que se disse sobre a sua saída do FCPorto.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Champions League; Será assim tão fácil?



Colocado no grupo G, o FCPorto terá que discutir a passagem à seguinte fase da Champions League com o Shaktar, o Zenit e o Apoel.

Teoricamente poderemos afirmar que é um dos grupos mais fáceis que poderia calhar a um dos pretendentes Portugueses, mas na nossa opinião será o grupo em que se discutirá com mais vigor e palmo a palmo, a passagem à 2ª fase. E isto porquê? Porque não existindo uma equipe muito superior às restantes, a decisão será efectuada mediante os jogos realizados em casa e também nos jogos fora. Quando existe uma equipa com argumentos claramente superiores e melhor apetrechada que as restantes, podemos prever que essa mesma equipa conte por vitórias todos os jogos disputados, chegando ao total máximo ou seja aos 18 pontos possíveis, roubando pontos a todas as equipas. Quando estamos perante um adversário deste tipo no nosso grupo, as equipas preocupam-se somente em alcançar a vitória nos jogos em casa, quando os disputam com os outros 2 adversários restantes, preocupando-se em fazer minimamente os 9 pontos para ser apurado.

No jogo em casa contra a melhor equipa do grupo, devem tentar fazer a melhor exibição possível, para que pelo menos conseguiam arrancar um ponto, que lhe poderá dar a tal vantagem sobre os outros dois concorrentes.

Assim, e num grupo demasiado equilibrado como é o do FCPorto, todos os jogos são para ser bem disputados e as vitórias o objectivo a alcançar. Como reflexão sobre o nosso ponto de vista, temos o exemplo do Benfica no ano transacto, em que não havendo uma equipa claramente superior às restantes, o grupo criou demasiadas dificuldades ao apuramento do Benfica, que como sabemos não se veio a concretizar pela perda de pontos nos jogos no estádio da Luz, e porque os restantes concorrentes poucos pontos roubaram entre si, quando jogaram na casa dos adversários directos.

Dai a explicação do Diretor das Relações Externas do FCPorto Fernando Gomes, quando hoje foi confrontado pela comunicação social, sobre o sorteio;

“É opinião geral que o nosso é dos grupos mais difíceis. Os clubes têm jogadores de grande nível e porque, sobretudo, os ucranianos e russos são dos que mais investem no futebol. E são viagens muito longas. Dificuldades enormes, de facto”, resumiu

Quanto ao Benfica, colocado no grupo C do Manchester United, e apesar de ter calhado num grupo com um cabeça de série indiscutível, os jogos que irá efectuar no seu estádio terão que os somar como vitórias, para poder passar com calma esta fase de apuramento.

Mesmo assim e na nossa opinião, o sorteio foi muito bom para ambas as equipas Portuguesas.

Façamos votos para que ambas as equipas consigam chegar o mais longe possível, e porque não vencer a Champions League.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Liga dos Campeões; Benfica no pote 2.

Mais uma vez, Co Adriaanse que após a sua saída do cargo de treinador do F.C. Porto, tinha afirmado " Que nunca me tinha passado pela cabeça, que era assim tão importante vencer o Benfica", foi hoje novamente derrotado por essa mesma equipa, no estádio da Luz.

Hoje e após a derrota da sua equipa o Twente por 3 bolas a 1, Adriaanse deve ter-se recordado e muito, dessa sua famosa afirmação.

A abordagem ao jogo por parte da sua equipa, foi lenta e algo desarticulada, chegando a ser confrangedora para quem quer entrar na elite do futebol europeu. Só aos 37 minutos é que o Twente fez o primeiro remate digno desse nome, à baliza do Benfica. Ao contrário da apatia e desinteresse revelados pelo Twente, o Benfica entrou no jogo desde o primeiro minuto, com ambição e garra, chegando a ser demolidor e demasiado perdulário na concretização de jogadas de golo. Demonstrou o Benfica ter a lição bem estudada e que não se sentia satisfeito com o resultado alcançado na Holanda, e que mesmo assim lhe permitia estar em vantagem na eliminatória.

O resultado no final do jogo, não espelha a enorme diferença qualitativa entre as equipas que hoje se defrontaram no estádio da Luz, pois a equipa do Twente foi demasiado fraquinha para tanto Benfica.

Afinal e após estes dois jogos disputados contra o Benfica, Co Adriaanse voltou a demonstrar nada ter aprendido sobre o futebol portugês, após a sua passagem pelo FCPorto. 

Contudo e apesar de derrotado, Co Adriaanse poderá sentir-se minimante satisfeito, sabendo o quanto o P.da Costa gosta de dinheiro, por ter ajudado o Benfica a retirar mais ao menos 7 milhões de euros ao FCPorto.

Ganhou quem mostrou mais competência e ambição, para estar na próxima fase de grupos da Champions.

Segue assim o Benfica para o pote 2 no sorteio dos grupos, onde já se encontrava no pote 1 o FCPorto.


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Leandro Damião; Será o novo alvo do FCPorto?

Aqui fica uma breve apresentação, sobre o possível reforço do ataque do Dragão, Leandro Damião;

O Jogador chega ao Inter por empréstimo do Atlético de Ibirama, após ter sido o melhor goleador da sua equipa. Disputou o Campeonato Gauchão de juniores e posteriormente a Copa FGF de 2009 pelo Inter B, sagrando-se campeão do torneio e o melhor goleador da competição.

Em 2010 o Inter B, foi escolhido para disputar as três primeiras rondas do Campeonato Gaúcho de Futebol. Nestes jogos Damião faz 3 golos, e o Inter de imediato, procedeu à compra dos direitos económicos do atacante, passando desde essa altura, a ser membro da equipa principal.

Em 2011 assumiu a titularidade da camisa nº 9 do Inter. Aproveitou muito bem a oportunidade concedida, depois de alguns momento menos bem sucedidos no resta da temporada de 2010. 
Foi campeão, e o melhor goleador do Campeonato Gaucho de Futebol de 2011, com 17 golos em 13 partidas realizadas. Contudo e somando todas os jogos realizados pelo Inter até ao mês de Março, fez 21 jogos marcando 21 golos. Ao atingir uma média muito alta, alcançou a proeza de despertar o interesse do Seleccionador Nacional, sendo por isso chamado à Selecção Brasileira.

Damião faz um jogo exuberante na partida realizada a 21 de Agosto de 2011, no jogo contra o Flamengo, ao ter dado uma assistência de calcanhar para Índio, deixando o colega do Inter livre para marcar o primeiro golo colorido no jogo.
No segundo tempo resolveu marcar o golo mais bonito da sua carreira, quando acertou na bola após ter realizado uma bela bicicleta, empatando o jogo 2-2.

Aprecie este momento de rara beleza futebolística potagonizado por L. Damião, e que nos faz lembrar  Falcao a jogar no Dragão.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Supertaça Europeia; Pinto da Costa recorda o passado.


Com o rápido aproximar do dia e da hora da grande decisão para a Supertaça Europeia de Futebol da Uefa, entre esse colosso F.C.Barcelona e o mágico F.C.Porto, nada como ver este breve filme da Uefa.

Nesta bela apresentação, o presidente Pinto da Costa, partilha as suas memórias sobre a orgulhosa história europeia do F.C.Porto nas provas da Uefa.

video
"Quando passavamos a primeira eliminatória da Uefa, que era a taça das cidades com feira, faziamos um grande festa, pois à segunda eliminatória, já sabiamos que tinha acabado. "
Palavras de Pinto da Costa.

Desde essa altura, o Clube ganhou uma dinámica de vitórias de tal ordem, que enfrenta hoje os grandes colossos europeus, "olhos nos olhos".

Delicie-se com esses momentos de emoção de um grande clube de futebol que desde 1987, não deixa de surpreender a Europa e porque não o Mundo, tornando o mesmo mais azul.

Fábrica de milhões; Um sucesso de gestão desportiva e empresarial.

Os números falam por si, desde 2004 o F.C.Porto vendeu 406 milhões de euros de passes de jogadores, depois de ter gasto 239 nas suas aquisições. Cerca de 170 milhões de lucro, mantendo em termos desportivos as equipas num patamar muito competitivo. O F.C.Porto apesar de vender os seus melhores jogadores, tem continuado a ganhar títulos e mais títulos quer em Portugal quer na Europa. Se isto não é um excelente exemplo de gestão quer desportiva quer financeira, então já não sabemos o que será!

Campeão Europeu, após ter vencido o Mónaco em 2004, o FC Porto vendeu Paulo Ferreira, Carvalho e Deco. Os dois primeiros ao Chelsea e o terceiro ao Barcelnoa. A venda destes três jogadores representaram para o clube 71 milhões de euros, ( Carvalho a valer 30, Deco 21 e Paulo Ferreira 20 ).

Estas três vendas foram o inicio de uma grande inundação de negócios para o clube Português. No verão seguinte Luis Fabiano, foi comprado por 3,5 milhões ao São Paulo e vendido por 10 ao Sevilla. Recordamos que nesse ano, L.Fabiano não conseguio afirmar-se efectivamente com as suas credenciais de goleador na equipa de fuetbol do FCPorto.
Seitaridis que foi adquirido ao Panathinaikos por 3, foi vendido ao Dinamo de Moscovo por 10. Maniche seguio o mesmo destino mas por 16 milhões.

Contudo o ano mais produtivo viria a ser o de 2007, quando o F.C.Porto arrecadou 60 milhões de euros pela venda de 2 jogadores, com Pepe a valer 30 para o Real. e Andersson por 31,5 para o Manchester United. O benefício do Porto nestas duas vendas, rondaram os 55 milhões de euros, já que Pepe tinha custado 2 milhões ao Marítimo e Anderson 5 milhões.
Estas duas últimas vendas estavam referenciadas no quadro do FC Porto como os record´s de vendas, até terem sido pulverizadas pelo valor da venda do goleador Falcao.

Na transferência de Falcao, a caixa do clube Português regista 40 milhões de euros pela venda deste jogador que há 2 temporadas atrás tinha custado 5,5 milhões.

A venda de Falcao é o exemplo da agressividade de valores que estão em causa, quando se trata da compra e venda de excelentes jogadores da equipa, que é uma imagem de marca do FC Porto após a vitória da sua segunda Liga dos Campeões.
No FC Porto não existe descriminarão de preços entre as posições que os jogadores ocupam no campo, pois um ponta de lança pode ser tão caro, como um defesa central, ou médio.
Durante estes anos passados ainda vimos as transferências de Bosingwa por 20,5 milhões, Cissokho por 15 depois de ter custado 300 mil ao Vitória de Setúbal, e 22 milhões por Bruno Alves que era dos quadros do clube. Como médios as vendas de Lucho Gonzalez comprado por 10 milhões ao River Plate, vendido ao Marselha por 19 milhões e Raul Meireles que chegara a custo zero vindo do Boavista, em direcção ao Liverpool por 13. Como extremos temos a venda de Quaresma que tinha chegado de Barcelona a troco de  6 milhões, por 24 milhões ao Inter. Como ponta de lança a venda de Lisandro ao Lyon por 24 milhões quando tinha custado 6,7 vindo do Racing Club.

Nesta catadupa de aquisições e transferências, também existem algumas que se podem considerar como "maus negócios" financeiros. Contudo são tão poucos que se consideram colaterais de outros negócios estrondosos. Temos o exemplo de Rubem Micael, que apesar de ter deixado lucro de 2 milhões teve que ser incluído noutra venda para que a mesma fosse minimamente proveitosa.

Nos últimos anos, o FCP  só tinha efectuado uma compra extraordinária, que foi a aquisição de Hulk por 19 milhões ao Tokyo Verdy do Japão. Foi mesmo um número pouco habitual na aquisisção de jogadores, mas não temos dúvidas que quando o mesmo for transferido se é que o vai ser, a quantia de venda será consideravelmente muito maior. O negócio seguinte poderá ser a venda de Freddy Guarin que custou 1 milhão vindo do Saint-Ettienne, na troca com Paulo Machado. O clube que o pretender terá que arranhar e muito os fundos dos seus bolsos, para convencer Pinto da Costa a vender.

Estas constantes entradas e saídas, não tem beliscado minimamente a competitividade desportiva da equipa desde 2004-2005, com a perda do título nacional para o Benfica, pois a lição foi rapidamente aprendida pela equipa de gestão do FC Porto quando vendeu as jóias nesse ano, sem se precaver antecipadamente no mercado para as saídas de alguns jogadores.

Como exemplo este ano de 2011, o clube já se precaveu antecipadamente contratando outros com a mesma valia técnica mas sem títulos desportivos para substituir os jogadores da equipa principal de futebol que possivelmente poderão ser adquiridos pelos grandes clubes da Europa.

Muito mais haveria a dizer nesta constante dança do compra e venda quer de jogadores quer dos técnicos principais, já que neste exemplo não consideramos a venda de J.Mourinho nem a de Vilas Boas, com este último a deixar nos cofres 15 milhões. Pretendemos simplesmente deixar aqui um pequeno quadro exemplificativo de como se faz a gestão de campeões e para campeões no F.C.Porto.

Para que tenham uma imagem mais completa do que acima mencionamos, devem juntar a todas estas transferências, os troféus desportivos que o Clube conquistou após 2000, para que realmente tenham a noção da enorme grandeza destes números. 

Fica a questão; Até quando poderá o FCPorto continuar nesta senda de transferências milionárias?



domingo, 21 de agosto de 2011

José Mourinho; Haverá punição ao treinador português?

José Mourinho, pelos vistos não terá qualquer punição federativa pela sua conduta anti-desportiva no último Barça 3 - Real 2, quando segundo as imagens da TV, se viu o mesmo a colocar um dedo no olho do treinador adjunto Tito Vilanova do Barcelona.

Apesar de sobre este incidente, J. Mourinho não vir a sofrer qualquer punição por parte da Liga Espanhola, uma vez que o árbitro do encontro David Fernandez Borbalan's nada mencionou no boletim do jogo, este acto poderá contudo valer a José Mourinho o seu possível despedimento do Real.

O Presidente do Real Florentino Pérez, tem sido em Espanha altamente pressionado nestes últimos dias para tomar uma acção contra o treinador português, após mais este escândalo com as cores do Real.

Recordamos que tudo aconteceu já perto do final do jogo, quando Marcelo defesa do Real fez uma entrada às pernas de Fabrégas jogador do Barça, originando a rápida intervenção de pressão de todo o banco do Barça, junto à linha lateral.
No meio da confusão instalada e que originou a expulsão de 3 jogadores, José Mourinho dirigiu-se a David Fernandez Borbalan's para executar a acção que as câmaras da TV registaram, e com este último na resposta a empurrar J. Mourinho pelas costas de volta para o seu lugar.

Entretanto e após a dura afirmação de Piquet " Mourinho, é a doença no futebol espanhol ", aparece agora o vice-presidente do Barcelona Carles Vilarrubi a afirmar o seguinte; "O Real Madrid não pode ficar paralisado mediante o acto cometido pelo seu treinador no campo do Barça. Qualquer acção deverá ser tomada."

José Mourinho, é mesmo um treinador que para o bem ou para o mal, adora cultivar alguns inimigos.