Tradutor

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Pelos vistos, existe algo que mete medo ao papão Barcelona.

Leverkusen-Barcelona: «Evitámos equipas russas»? Fàbregas


O médio espanhol Cesc Fàbregas ficou satisfeito com o sorteio da Liga dos Campeões, visto que ao defrontarem o Leverkusen evitam uma possível deslocação à Rússia, onde iriam encontrar temperaturas pouco apelativas para a prática do futebol.


«Vamos viajar até Alemanha. O Leverkusen e as equipas alemãs são sempre fortes, mas evitámos os clubes russos. É bom por causa do frio que se faz sentir», afirmou Fàbregas, em declarações no «twitter», uma rede social.


Quanto ao defesa Gerard Piqué, também, no «twitter», analisou a partida com os alemães: «Vamos defrontar o Leverkusen. Não é mau. Gosto muito de jogar nos estádios alemães. Tem um ambiente fantástico, respira futebol».
Fonte; Abola


Pelos vistos, existe mesmo algo que mete medo aos maestros do Barcelona. O frio, que lhes pode congelar os super dotes que exibem, na protecção da bola, e nas arrancadas mirabolantes para a obtenção do golo.


No fundo, para quem diz que estes jogadores são de outra galáxia, esta afirmação de Fàbregas, só vem demonstrar que afinal os jogadores do Barcelona FC, são tão humanos como os outros, com os seus poderes e fraquezas.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A estratégia dos 5, que dominam o futebol atual.


Os grandes negócios do futebol brasileiro começam em Montevidéu, passam por paraísos fiscais e terminam em um dos grandes europeus. Os lucros caem nos bolsos de intermediários cuja cara, você dificilmente já viu. Esse futebol sem rosto, hoje é mais influente que o dos craques. Menos vistoso, mas mais lucrativo.
PLACAR foi à caça desses representantes do futebol das profundezas. Eles arranjam o atleta, viabilizam a operação financeira, criam atalhos para o clube ter menos despesas, arranjam investidores e formam fundos de investimentos.
“Em troca de uma ajuda de 8 000 dólares mensais, assinei documentos sem ler por dez anos”, afirma Fermín Vega Torres, ex-presidente do Central Español — um clube “fantasma” do Uruguai, que servia apenas para registrar os atletas do empresário uruguaio Juan Figer. “Quando me recusei a assinar transferências, um sobrinho do Figer me ameaçou.” Logo após a recusa, os negócios passaram a ser feitos em outro clube “fantasma”, o Rentistas.
Juan Figer é uma figura discreta (odeia dar entrevista) que atua no Brasil desde 1968, quando negociou o lateral Pablo Forlán com o São Paulo. Faz parte de um grupo de cinco empresários que controla os grandes negócios do futebol — como o iraniano Kia Joorabchian, o israelense Pini Zahavi, o argentino Gustavo Arribas e o português Jorge Mendes. Hoje atuam cada um no seu pedaço. Mas podem estar juntos se a transação valer a pena. Em 2004, por exemplo, todos eles foram a Buenos Aires para tratar de uma sequência de transações com o River Plate. Arremataram Maxi López, Lucho Gonzalez e Javier Mascherano.
Jorge Mendes, atuou sem grande brilho como jogador, em clubes da terceira divisão portuguesa, A sua grande jogada aconteceu em 1996, quando criou a Gestifute. Seus negócios no Brasil incluem a coordenação da carreira do técnico Mano Menezes, em parceria com Carlos Leite. “Mendes tem relações, que nenhum dirigente brasileiro ou português tem para negociar atletas”, diz um agente com trânsito nos bastidores da bola.
Mendes passou a encontrar concorrência em Portugal. Em um ano, Kia Joorabchian fez dois negócios certeiros; As vendas dos brasileiros Ramires e David Luiz do Benfica para o Chelsea. Só nessas ações, movimentou 37 milhões de reais.
Seu braço direito é Giuliano Bertolucci, aliado desde a MSI-Corinthians. Seu maior rival, o argentino Gustavo Arribas, com boas ligações no Boca Juniors. Arribas opera a partir de outro “fantasma” — o Deportivo Maldonado, também do Uruguai. Tinha trânsito com os principais empresários.
“Hoje opera um esquema independente, o que causou atritos com ex-parceiros”, diz um agente. Kia chegou a acusá-lo de roubar o Corinthians. “Ele pegou o Sebá Dominguez e transferiu para o América do México sem pagar”, disse. Arribas defendendo-se: “Se tivesse roubado o Corinthians, não teria intermediado a vinda do Thiago Heleno”.
Arribas manteve parceria com o israelense Pini Zahavi, considerado um lenda no meio. A criatividade com os negócios, valeu a Zahavi o apelido “Senhor Conserta-Tudo”. “É um dos donos do futebol no mundo”, define Wagner Ribeiro, empresário de Neymar e parceiro de Pini no Brasil.
O israelense opera uma teia de empresas localizadas em paraísos fiscais. Sua grande realização foi ajudar o bilionário russo Roman Abramovic, na compra do Chelsea. Mantém base na América do Sul, desde a MSI-Corinthians e opera por meio de uma salada de empresas instaladas nas Ilhas Virgens Britânicas e em Gibraltar.
“Essa cascata de empresas off-shore, embaralha o nome dos verdadeiros donos do dinheiro”, afirma o promotor José Reinaldo Carneiro, do Grupo de Apoio ao Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de São Paulo. Práticas condenadas pela Fifa e pela Justiça. Mas nada que o Senhor Conserta-Tudo não resolva em seu escritório no 34º andar de um edifício em Tel Aviv.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Premier League; Resumo Boxing Day


Resumo dos jogos realizados na Premier League, Boxing Day. Não foram os jogos mais emocionantes a que assistimos, mas os resultados alcançados deixaram que pensar a muitas equipas. Com um sorriso ficou o Manchester United, que se aproximou e igualou o Manchester City no topo da classificação, deixando os seus perseguidores ainda mais nervosos, pois viram a sua distância para os lugares do topo da classificação a aumentar, como foi o caso do Chelsea que marcou passo, em casa contra o Fulham, levando Villas Boas ao desespero!
Algumas lutas mais acesas, mas em termos de emoções e de jogo jogado, as disputas foram muito pobres.
Stoke 0-0 Astom Villa
Conforme ficou o placard do jogo, foi um ponto valioso para a equipa do Stoke, mais concretamente para a Britânia.
Será melhor pedir desculpas por este pequeno deslize na luta pelos lugares cimeiros da liga, ao Alex McLeish. Ele é só o chefe do Villa. “Eu poderia culpar os jogadores sobre este resultado, mas não o vou fazer. Eu sou o maior responsável pela equipa, e por isso assumo este resultado menos positivo, para o Villa”.
West Brom 0-0 Man City 
São tão raros nesta temporada, os pontos que o Manchester City perde, que deixar o adversário pontuar é ainda mais raro. Esse crédito vai para o Wets Brom., que se destacou pela defesa acérrima que fez dos caminhos que levavam à sua baliza, que merecem totalmente o ponto conquistado. Esse ponto conquistado, foi tão arduamente conquistado, que levou os seus adeptos a comemorar como se de uma vitória se tratasse. Quanto ao City, a diferença que levava de golos marcados, tem vindo a descer consideravelmente, tornando-se um fato que lhes poderá causar problemas no manter da liderança, perante o United.
Sunderalnd 1-1 Everton 
“Oh meu querido Howard Webb! Quando um jogador chuta mal e cai, não deve dar origem a uma grande penalidade”. Mas o Everton foi premiado com penalti, que o concretizou, alterando o resultado do jogo. Contudo, o empate é um resultado justo, para o que ambas as equipas fizeram durante o desenrolar do jogo.
Man Unit 5-0 Wigam 
O Wigan vai-se lamentar e muito, pela dura expulsão do Conor Sammom, quando o resultado estava em 1-0. Mas o Manchester United, fez um bom jogo ofensivo, com Berbatov que andava desaparecido da equipa principal, a fazer um hat-trick, colocando a equipa no topo da classificação da Premier League, igualando o City.
Liverpool 1-1 Blackburn 
O Steve Kean parecia impassível e sereno, após o apito final. Ele deveria contudo de estar exaltado e contente, com o real espírito que o Blackburn, aqui demonstrou frente ao Liverpool.
Este resultado é uma grande deceção, para o manager do Liverpool, Kenny Daglish, que pensava poder atingir facilmente a vitória, e subir um pouco mais na classificação do campeonato.
Bolton 0-2 Newcastle 
Segundo as afirmações de Peter Scrivener, “não foi um jogo muito do agrado dos puristas do futebol, mas esta viagem do Newcastle, foi muito proveitosa, em termos de resultado final.”
A equipa soube tirar partido dos erros defensivos do Bolton, para chegar a uma vitoria por números confortáveis.
Quanto a Owen Coyle, manager do Bolton, esta derrota só vem demonstrar o quanto a equipa precisa de recorrer ao mercado de Janeiro, para tornar a mesma mais competitiva e poder entrar na luta para fugir aos lugares de despromoção.
Chelsea 1-1 Fulham 
O Chelsea FC, continua a pensar que fez o suficiente para levar de vencida nos últimos minutos de jogo, os dois últimos adversários. Mas a sua inércia e sofreguidão do primeiro tempo, tem vindo a causar algum desacerto na procura das vitórias. O espírito e organização de jogo apresentado pelo Fulham, provavelmente terá originado um pouco de sorte para esta equipa, que lhe permitiu manter o resultado num empate, no período final do jogo, e que coincidiu com o período de maior assédio dos avançados do Chelsea à sua baliza.

Hoje temos mais jogos, e que envolvem as seguintes equipas; Arsenal v Wolves; Swansea v QPR e o Norwich v Tottenham.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Vilas-Boas, diz adeus ao título da Premier League.


As esperanças do Chelsea FC poder discutir ou chegar ao título da Premier League, sofreram hoje um duro revés, com o empate caseiro dos blues frente ao Fulham.

O jogo até estava a correr de feição ao Chelsea, já que foram os primeiros a passarem para a frente do marcador, após o intervalo, por intermédio de Juan Mata, que desferiu um potente remate à entrada da área, sem hipóteses para o guardião do Fulham.

Quando se pensaria que após este golo, a equipa do Chelsea embalaria definitivamente para um bom jogo, o Fulham, que em abono da verdade nunca se entregou, procurou na utilização dos extremos, chegar à baliza de Peter Cech.

Num desses raides protagonizados por Bryan Ruiz, o mesmo bateu facilmente a oposição de Ashley Cole, e cruzou a bola para a baliza do Chelsea, onde Clint Dempsey apareceu sozinho a encostar a bola sem oposição, para o fundo da baliza de Peter Cech, na concretização do empate da partida.

Apesar do Chelsea ter dominado na posse de bola, e de ter tido várias hipóteses de voltar a marcar, por Raul Meireles e Drogba, a equipa do Fulham resistiu como pode para manter o empate que seria o resultado final.

Este domínio final que o Chelsea exerceu na partida, contrastam e de que maneira, com o que a equipa desenvolveu na primeira parte, em que os Blues, se mostraram demasiado apáticos, lentos e sem convicção, na construção e disputa das jogadas.

Com este empate, o Chelsea fica a 11 pontos de distância dos líderes Manchester United, e Manchester City, após estes emocionantes jogos de Natal, mais conhecido por Boxing Day.

Relembramos que neste Fulham, joga o português Orlando Sá, que teve uma breve passagem pelo FC Porto, onde nunca se conseguiu afirmar convictamente.

Na equipa do Chelsea, continuam a actuações confrangedoras do outrora temível e rapidíssimo espanhol Torres, que continua a ser uma sombra do jogador tantas vezes aclamado, como o melhor avançado do mundo, quando actuava no Liverpool.

No final do encontro, Vilas Boas, resumiu o encontro nas seguintes considerações;

“O desempenho foi bom. Nós tentamos de tudo ao nosso alcance para conseguir um segundo golo. O guardião do Fulham, Stockdale, teve um dia fantástico, e impediu-nos de obter o tão desejado 2º golo, e isso é dececionante, para nós.

O Fulham foi muito organizado, no primeiro tempo. Foram muito sólidos e compactos, o que tornou as coisas mais difíceis para a nossa equipa.

O primeiro tempo, foi jogado a um baixo ritmo por ambas as equipas. Não houve emoções. No segundo tempo, houve tempo, para resolver, mas não conseguimos encontrar o ritmo certo, depois de termos marcado. Encontramo-lo novamente depois do Fulham ter marcado, mas para nós já era tarde demais”

Continuam assim, a ser tortuosos os caminhos trilhados por este Chelsea FC, de André Vilas-Boas.

Chelsea FC, em força no mercado de inverno!



Edinson Cavani e Marek Hamsik, ambos a militar no campeonato italiano Série A, e pertencentes aos quadros do Nápoles, são os principais alvos do Chelsea FC, neste mercado de inverno.

O avançado uruguaio Cavani, jogador avaliado em 60 milhões de euros, é mesmo o principal alvo, para colmatar a saída do avançado Anelka, e mesmo a possível de Drogba. Já o médio eslovaco Hamsik, avaliado em 35,9 milhões seria para reforçar o meio campo ofensivo do Blues, que tem revelado uma incapacidade confrangedora na construção de lances de ataque, e na condução da bola.

Para além dos alvos acima referidos, consta-se que Milos Krasic, que não tem sido aposta regular de António Conte na Juventus, também possa estar referenciado como um dos alvos do Chelsea. Este jogador, está avaliado em 24 milhões de euros. Contudo, este negócio não se afigurará fácil para os blues, já que pelos vistos, o Manchester United, também estará muito interessado no concurso de Krasic.

Com estas notícias, parece que fica assim confirmado o reforçar da total confiança em André Villas-Boas, por parte de Roman Abramovich, dando-lhe total liberdade para organizar e remodelar a atual equipa do Chelsea FC, tendo para disponibilizado ao técnico português, 180 milhões de euros, o efeito.

Para quem afirmava que Villas-Boas, estaria por dias no comando do Chelsea FC, estas notícias, vem demonstrar precisamente o contrário do que se supunha.

Com todas estas especulações, movimentações e interesses do Chelsea FC e mais precisamente de André Villas-Boas, em jogadores de ataque e concretamente de avançados, ficamos mais uma vez, sem perceber muito bem, porque se concretizou a saída extemporânea e forçada de Falcao do FC Porto, para um clube da valia do Atlético FC.

Serão das tais razões, que a razão desconhece.
http://portodragoinfire.blogspot.com/



sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Para todos os amigos e simpatizantes deste blog;

Desejo a todos, um Santo e Feliz Natal junto das famílias e amigos, e que o ano de 2012 seja um ano de grandes realizações pessoais e profissionais.


sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Barcelona marca em 2011; impressionantes 170 golos!


Ontem em Camp Nou, esteve muito perto de se bater  um velhinho record histórico; a maior goleada do Barcelona, que é de 10-1 ao Tarragona, que data desde a longínqua temporada de 1949/50.

Nesta 2ª mão da Taça do Rei, o modesto L´Hospitalet que perdera na primeira mão desta eliminatória por 0-1, saiu copiosamente vergado de Camp Nou com um concludente 9-0, naquele que passa a ser o maior triunfo da máquina blaugrana, de Guardiola.

O anterior record de Guardiola, aconteceu na derrota do Osassuna também nesta época por 8-0. E se estes números assustam qualquer um, atente-se nos outros que o Barça atingiu; 95 golos marcados nesta época, em apenas 28 jogos “oficiais”, o que dá uma média impressionante de 3,39 por partida.

Se a estes valores se juntarem os obtidos desde Janeiro de 2011( ainda referentes à época passada ), o total deste ano,  atinge os 170 golos marcados, que se torna um novo record do futebol espanhol, superando os impressionantes 167, que pertenciam ao Real Madrid.
Nem mesmo o fato de terem disputado no domingo passado e vencido o Mundial de Clubes, levou os blaugrana a levantar o pé, contra os abnegados L´Hospitalet.

Impressionante, é o fato de neste jogo, o Barcelona ter apresentado 10 elementos oriundos da sua cantera,  sendo a excepção o guarda redes Pinto, no seu onze inicial. Se a estes juntarmos mais 3 suplentes utilizados, e com o desempenho que os mesmos tiveram, prevê-se que o futuro desta máquina goleadora, começa a ficar muito bem assegurado, pelas bandas de Camp Nou.

Neste festival de golos, a nota negativa vai para a lesão grave de Iniesta, com Pepe Guardiola a levar as mãos à cabeça pelo desespero, com uma rutura muscular na perna esquerda, com prognóstico de paragem de 2 semanas.

Qual será a equipa de futebol a nível mundial, que poderá travar este colosso de equipa?

Esta é a pergunta que fica entretanto no ar e sem resposta visível, nos tempos mais próximos

A bebida de Cristiano Ronaldo.

Esta é a bebida que Cristiano Ronaldo, utiliza para se colocar em grande forma física e com os seus talentos futebolísticos ao máximo.

Só que Leonel Messi, descobriu o segredo e passou também ele a beber da mesma bebida, não dando hipóteses ao Ronaldo de poder brilhar nos grandes jogos.

Nesta luta de super dotados, para a bola de ouro, Messi leva vantagem sobre Ronaldo conforme ainda recentemente se viu, no último Real Madrid - Barcelona, com a vitória a sorrir a Leonel Messi por 3 a 1.

video

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Somos soberbos demais, para futebol de menos!



Não resistimos à tentação, e tivemos que publicar esta excelente e deliciosa crónica, sobre o jogo Barcelona-Santos, em que os de Barcelona para além do concludente 4-0, deram um recital de excelente futebol.

"Pensei que eu já tinha visto um time jogar bola… Não tinha ainda. Vi, domingo, dia 18 de dezembro de 2011.

Só agora entendi o que nossos pais querem dizer ao se referir aos tão saudosos tempos do Santos de Pelé e seu esquadrão. Eu, nascido três anos depois da conquista de 70 no México, só fui ver um show nos gramados quando testemunhei muito menino à seleção de 1982. Depois disso, como todos os brasileiros, me acostumei a chamar de “futebol-arte” umas gingadas pra cá, umas pedaladas pra lá, uns showzinhos particulares de uns pés iluminados, e que tão rápidos correram para o rico esporte europeu.

Domingo, entretanto, eu vi o Barcelona jogar.

O Barcelona é uma empresa. Seus clientes são exigentes. Não aceitam menos do que um espetáculo. E quem quer conquistar o mercado do entretenimento mundial tem sim que buscar excelência em tudo que faz, planeja, semeia e colhe, pela força do mérito e não da sorte. Os empresários da bola descobriram o que um dia antropólogos vão tentar explicar: A gente é simplesmente doido por uma linda partida de futebol. Não sei o que acontece com a alma humana… O futebol é nossa arena e os jogadores, nossos gladiadores. Nossos times são nossa representação, nossa síntese, nossa forma de demonstrar paixão… E no Brasil isso ultrapassa o limite da compreensão.

Mas agora já posso dizer que eu vi um time jogar de verdade…

Só me resta voltar a “quase-me-divertir” com os torneios nacionais e latino-americanos, onde a mediocridade, a indolência, a sacanagem, a bandidagem e a politicagem IMPERAM sem nenhuma voz a se levantar pra denunciar essa MÁFIA ao redor dos campos. Voltarei também a admirar dentro do campo a nossa famosa cultura do jeitinho, da catimba, do “juiz-sempre-ladrão”, do “recuar-para-jogar-no-contra-ataque” depois de fazer “meio-gol”. Voltarei a toda essa preguiça de atletas cansados que ganham milhões e ainda assim têm a cara de pau de forçar o segundo cartão para não viajar com o time no domingo de balada. Voltarei a essa novelinha-das-seis que a TV e toda a mídia dá um jeito de ficar emocionante para quem sofre muito e se contenta com pouco.

É, mais nunca esquecerei… Domingo de manhã descobri o que é um time de verdade.

Amante do futebol, nunca esquecerei…

A ufanista seleção brasileira seria massacrada pelo Barcelona. Porque a “seleção” é a mais concreta evidência dessa ZONA, dessa ganância atrapalhada que mistura dinheiro privado com coisa pública e prepara a COPA DOS SUPERFATURAMENTOS, a política de caixa 2 que caracteriza nossos períodos eleitorais TODOS!

Já o SANTOS… Ora, NÃO É DO SANTOS QUE ESTOU FALANDO. O Santos foi quem nos permitiu assistir a isso tudo quando venceu o Brasileirão que o levou à Libertadores, e venceu os latinos todos, levando ainda seu Regional no meio do caminho, tendo sido então catapultado a essa final privilegiada. Foi o Santos quem nos levou à Tóquio, à sala de aula, pra tomar umas boas surras na bunda! Na bunda de santistas, mas também de corinthianos, palmeirenses, flamenguistas, gremistas, comentaristas, cartolas e todos os brasileiros…

O Santos? O Santos não tem nada a ver com minha reflexão. O Santos é o que temos de menos pior!

Coloca o Neymar dentro da estrutura que o Messi tem ao redor de si e todos saberão que ninguém é “o melhor jogador do mundo” sozinho. Quem sabe, vestindo a camisa do Messi, nosso jovenzinho moicano faria coisas ainda nunca vistas, impensáveis aos nossos olhos…

Minha questão, desse modo, é outra: Somos nós… Nós somos soberbos demais para futebol de menos.

E nosso atual futebol é só reflexo da cultura da qual a gente idiotamente se orgulha: A cultura do “deixa como está para ver como que fica”; a prática do nivelamento por baixo que domina nossas escolas, universidades, empresas, ONGs, publicações, ações sociais, políticas e quase TUDO o mais nesse país.

Acorda gente!

Alguém viu o Barcelona dar chutão, “chuverinho” pro nada, bola rifada pro meio do campo?

Alguém viu algum “espanhol” comemorar que conseguiu proteger a bola até que ela saísse por escanteio? (e a torcida aqui ainda vibra com isso!!!). Alguém viu o Barcelona recuar todo o time depois do primeiro gol? Viram algum jogador cansado? Não perceberam os caras tentando tirar a bola da mão do Rafael quando o jogo já estava em seu final? (Aliás, se não fosse o Rafael…)

Alguém viu o Messi “provocar” a falta? Viram-no se jogar dentro da área feito ator de cinema sem ninguém ter lhe tocado?

Não perceberam quantas e quantas vezes ele poderia ter caído? Mas será que a torcida do Barcelona se contenta com bola parada perto da área porque falta coisa melhor para fazer em campo?

Enquanto você está pensando que estou nos ridicularizando, veja como somos ridículos mesmo: nos nossos campos, quando um de nossos times está ganhando de “quase 1 x 0”, nossos melhores jogadores sofrem uma “quase-falta” e ficam “quase-mortos” estrebuchando na grama, em dramáticos giros e convulsões. Aí param o jogo, brigam os demais, o juiz autoriza a entrada do carrinho, os paramédicos recolhem o lesado, o carrinho se move lento para fora do campo, os comentaristas até fingem que estão preocupados, e então, o cidadão cruza as linhas laterais, levanta “quase-mancando”, solicita sua reentrada imediata em jogo, já quase pulando, e volta como se nada tivesse acontecido… Meu Deus! A gente acha que isso é um espetáculo? Só se for de teatro! Se toda vez toda a torcida vaiasse o pilantra queria ver se algum desses “heróis” continuaria a fazer a cena de sempre…

Nós temos orgulho da malandragem. O cara só tá errado se for do time adversário!

A gente é assim…

Aí, no encontro com a EXCELÊNCIA no Japão, fica essa postura brasileira toda subserviente, afetada, psicologicamente submissa, reverente demais para quem queria ser campeão. O Santos em campo parecia o adolescente que encontrou com seu ídolo – seus personagens de games de futebol – e, emocionado, subiu no palco para pedir autógrafos e abraços, cortejando gente de seu próprio tamanho.

No domingo, o Santos encontrou com o futuro. Tomara que tenha encontrado o seu próprio."



quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Eusébio; Internado no Hospital da Luz.


Eusébio está internado no Hospital da Luz, devido a uma suspeitas de uma broncopneumonia.
O Benfica confirmou, através do seu site, o internamento de Eusébio. "O Sport Lisboa e Benfica deseja rápidas melhoras ao Pantera Negra”, pode ler-se no comunicado.
Recorde-se que Eusébio da Silva Ferreira, de 69 anos, esteve internado em Abril de 2007 devido a problemas cardíacos. O antigo jogador esteve em observação após ter sentido tonturas.
Entretanto, fonte próxima da família confirmou à Lusa que o ex-jogador está a efetuar alguns exames, mas estará fora de perigo.
Eusébio já tinha sido internado em 2007 naquela mesma unidade para se sujeitar a uma operação à artéria carótida esquerda para prevenir um eventual Acidente Vascular Cerebral (AVC).
Fonte; Record

Pepe Guardiola; World Manager of the Year


Na última temporada em que Frank Rijkaard estava no comando do Barcelona, o mesmo acabou em 3º na La Liga, a 18 pontos atrás do Real Madrid. Neste campeonato, que o Barça perdeu drasticamente para o seu rival histórico, ainda lhes aconteceu terem que sofrer a humilhação pública de serem a guarda de honra do título do Real Madrid, porque o clássico com os blancos, aconteceu na semana seguinte à conquista do título de campeões da Liga Espanhola, pelo Real Madrid.

Perante esta humilhação, o sino tocou a rebate para os blaugrana. Tinha chegado “a hora da mudança”, conforme afirmou o antigo jogador do Barcelona Rafa Marquez.

Quando o ex jogador do meio campo do Barcelona, Guardiola foi escolhido como sucessor de Rijkaard, muitos demonstraram o seu medo e desagrado, pela nomeação.
Claro que Guardiola tinha sido muito bem-sucedido com a equipa B, mas ele não tinha experiência nenhuma na 1º liga, nem a nível Europeu. A imprensa catalã, foi suspirando e clamando por um treinador de renome mundial, mais precisamente por José Mourinho. 

Ainda mais aflitos ficaram, quando Guardiola perdeu e empatou os seus dois primeiros jogos do campeonato, fazendo a pressão sobre a sua valia técnica, subir a níveis complicados.
Contudo, no meio do desnorte e falta de crença nas capacidades de Guardiola, outros havia que acreditavam cegamente no novo treinador, como Xavi que afirmou ao World Soccer; “ Pep é incrível. Quando o contrataram eu disse; Madre mia, vamos voar. Ele é viciado no trabalho. Ele é um perfeccionista. Ele exige muito de si mesmo. A pressão que ele coloca sobre si mesmo, é contagiante ao grupo de trabalho”.

A tudo isto, Guardiola mostrou uma resistência superior, ao obrigar Deco, Ronaldinho e Samuel Eto´o, a serem possivelmente excluídos do grupo de trabalho.
Ele mudou a abordagem que os jogadores faziam aos treinos diários, levando Iniesta e Xavi a afirmar, que nunca tinham visto sessões de trabalho tão intensas e exigentes.

Para além do intenso trabalho, Guardiola, exige uma disciplina cerrada. Na recente biografia de Zlatan Ibrahimovic, este toca neste ponto, com a seguinte afirmação; “ Os jogadores do Barça formam uma seita, com uma fé cega e sem limites no seu treinador, tipo meninos do colégio, que executam plenamente o que o professor lhes pede”.
A esta afirmação, Guardiola respondeu com um lacónico; “Tomo isso como um elogio”.

Como treinador, Guardiola aplicou no Barcelona, novos conceitos no posicionamento, na inteligência e no movimento dos seus jogadores. Taticamente a sua análise é contundente e precisa. Antes de cada jogo, Guardiola tranca-se num pequeno escritório meio escuro, devorando todos os vídeos dos seus adversários, e rivais. Durante esse estudo, há um momento, em que ele afirma “quando eu só sei.”
A evidência sugere em grande parte, que Guardiola realmente o sabe.

Pepe Guardiola sempre reconheceu, que para além do estilo, da identidade e dos aplausos, pela maneira de jogar deste Barcelona, a mesma também tem que vencer. Pois conforme Guardiola não se cansa de o afirmar, caso a equipa não vença, os elogios à beleza sobre o futebol praticado rapidamente terminariam, e a guerra e a confusão no clube, rapidamente começariam.
Contudo e até agora, e em comparação com as outras equipas rivais, eles têm sido ridiculamente bem-sucedidos.

Na primeira temporada de Guardiola à frente do comando técnico do Barcelona FC, este fez o pleno ao ter vencido o campeonato de La Liga, a Liga dos Campeões, e a Taça do Rei.
Nos 3 anos seguintes, venceu sempre o campeonato de La Liga, bem como nas 3 edições da Liga dos Campeões, venceu 2.
Num total de 16 troféus possíveis, venceu 13, traduzindo-se esses títulos, nos anos de maior sucesso da história do Barcelona.
Tudo isso se deve e muito, a Pepe Guardiola.

Não é de estranhar por isso, que Pepe Guardiola esteja indicado mais uma vez, para o prémio; “World Manager of the Year”.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Os Patriots arrasam os Denver Broncos; 41- 23.


No inicio do jogo, as coisas não corriam de feição e nem pareciam fáceis para os Patriots, quando desistiu da 218 jardas, no primeiro quarto de tempo de jogo. Neste período de algum desacerto, os Patriots, acabaram por perder o rapidíssimo Andre Carter, com uma lesão nos joelhos, que não o permitiram retornar ao jogo.

Mas no segundo quarto de tempo de jogo, a equipa empregou-se a fundo na recuperação do resultado, tendo realizado a maior pontuação da temporada, com 20 pontos e 3 turnovers, fazendo a bola rolar.

Mark Anderson, 2 roubos de bola, Aaron Hernadez, nove capturas e 129 jardas, e o Tom Brady com 320 jardas e 2 toucdowns, fizeram um tremendo jogo.  
Esta foi uma excelente vitória para os Patriots, na disputa com os combativos, Denver Broncos, do quarterback Tim Tebow.

Estes tiveram um inicio de jogo fulgurante, em que com passes atrás de passes a rasgar a defesa dos Patriots, ganharam algum ascendente na disputa das jardas. Para quem tão bem tinha começado o desafio, longe estaria de imaginar, que os Broncos iriam acabar o mesmo em tão má forma.

Esta equipa de Denver, que só tinha perdido a bola por apenas 5 vezes nos 6 últimos jogos disputados em que conseguira vitórias consecutivas, neste desafio de domingo, perdeu a mesma por 3 vezes. A defesa dos Broncos nunca conseguiu descobrir a chave para parar Tom Brady e companhia, já que não foi capaz de executar alguns tackles em campo aberto, desfazendo completamente a sua cobertura defensiva.

A chave deste jogo, esteve num simples fato; A defesa de Denver, não teve capacidade nem resposta para o super ataque que os Patriots, conseguiram implementar. Estes foram cabazes de parar Tim Tebow dos Broncos, que foi obrigado a jogar direto, facilitando assim a ação defensiva dos Patriots. 

Este jogo, foi o excelente exemplo, de que o ataque, é a melhor defesa, e em que os Patriots apostaram tudo na liderança de Tom Brady, e de todas as armas que o mesmo dispõem para furar qualquer defesa.

Apesar desta derrota, os Broncos de Denver, continuam a liderar a divisão oeste da AFC, com oito vitórias, e seis derrotas. Continuam assim em linha com o objectivo do título da divisão, já que tem uma viagem a Buffalo e um jogo em casa contra os KC, teoricamente equipas mais acessíveis e fáceis, que lhes podem garantir as vitórias necessárias para garantirem o titulo, mas desde que os Oakland Raiders e os San Diego Chargers, percam os seus jogos.

Quanto aos Patriots, com esta vitória, a 11ª em 14 jogos nesta temporada, garantem desde já o seu oitavo título nos últimos nove anos, em que disputam a divisão leste da AFC. Com esta vitória, os Patriots garantem também a sua presença nos playoffs, e farão pelo menos um jogo em casa na pós temporada. Atenção que os New England, mais conhecidos por Patriots, podem ainda conseguir a melhor campanha da conferência, e por isso ter o direito de jogar todos os jogos dos palyoffs, no seu estádio.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Barry Bonds, 30 dias de prisão domiciliar.


Após 8 anos a ser investigado, chega ao fim mais um caso que ensombrou a MLB, por alegada utilização de esteróides do famoso recordista e rei dos home run, Barry Bonds, com a aplicação de uma pena de 30 dias de prisão domiciliaria, uma multa de $4.000 US dólares, bem como 250 horas de serviço comunitário.

Apesar de o Ministério Publico solicitar a aplicação de uma condenação de 15 meses de pena de prisão para Barry Bonds, o juiz Susan Illston, seguiu a recomendação da defesa do jogador, condenando o mesmo à liberdade condicional, e ao serviço comunitário. 

O juiz Ilston, decretou a pena mais leve, fundamentando a aplicação da mesma, na persecução que o sensacionalismo mediático do caso Bonds, tinha forçado o mundo do desporto em geral, a enfrentar o grave problema na utilização de esteróides.

De nada valeu à acusação, o ataque à conduta moral e civil de Bonds, com afirmações de que o testemunho de Bonds ao grande júri, "não foi um impulso, ou coisa de momento", e de que o jogador apesar de casado, tenha mantido uma vida dupla. 

A tudo isto o juiz Illston, respondeu com um lacónico "Ele não foi condenado anteriormente por isso", bem como referiu ainda, que levou em conta as obras de caridade que Barry Bonds desenvolveu, apesar de as mesmas muitas das vezes ou maior parte das vezes neste caso, tenham ocorrido "fora dos olhos do público."

A tudo isto, o advogado assistente dos EUA, Mathew Parrella, respondeu desgostoso, que esta sentença mais não é do que uma palmada na mão de Barry Bonds.

Na passada semana, a procuradora dos EUA, escreveu "que os esforços de Bonds, foram orquestrados no sentido de poder depor falsamente, afim de enganar o grande júri, ao esquivar-se das perguntas, e por simplesmente se recusar a responder às questões, o que demonstra que a sua conduta era digna de uma pena de prisão significativa".

Recordemos que Barry Bonds foi acusado de ter mentido ao grande júri, que se encontrava em 2003, a investigar a utilização e consumo de esteróides, por jogadores da Major League de Baseball.

Esta sentença agora aplicada a Barry Bonds, é o resultado da apelação que o mesmo tinha movido à pena que em Abril passado lhe fora aplicada, e que o condenava a quinze meses de prisão efectiva.

Barry Bonds, é um dos mais famosos jogadores actuais da MLB, com um record de 7 vitórias como MVP, 8 vezes vencedor da luva de ouro, e detém ainda o registo do maior numero de home runs numa temporada ( 73 ) , e na sua carreira com 762.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Ryan Braun, falha controlo, anti-doping.


Notícia bombástica na Major League Baseball; Ryan Braun, falhou um controlo anti-doping.

A Major League Baseball, continua assim envolvida em grande controvérsias com noticias sobre a suspeição de utilização de substâncias dopantes, envolvendo grandes nomes da modalidade, e que vão desde Barry Bonds, a Roger Clemens dos Fireballers, passando pelos jogadores altamente profissionais como por exemplo, Rafael Palmeiro.

A situação de Ryan Braun, é contudo única e original, pois tem provocado grande alarido noticioso, com sentimentos contraditórios pelos fans do Baseball, já que este foi o vencedor da nomeação para MVP da Major League.

Muitos exigem agora, que depois destas graves notícias envolvendo o nome de Ryan Braun, seja efectuado nova eleição para o troféu MVP de 2011, sem que este jogador seja referenciado no lote de jogadores, para a nova eleição.

Caso não lhe seja retirada a nomeação e o respectivo prémio, muitos afirmam que a vitória de Ryan Braun, como MVP de 2011, ficará para todo o sempre manchada de suspeição, havendo 
já a circular na comunicação social, alguns cartoons sobre o caso.

Com se pode verificar, a confusão não tem fim, na Major League de Baseball de 2011-2012.

Champions League; Benfica - FC Zenit



O Benfica vai defrontar o FC Zenit St Petersburg nos oitavos-de-final da UEFA Champions League, ditou o sorteio da prova que se realizou esta sexta-feira na sede do organismo, em Nyon, na Suíça.
A formação "encarnada", que venceu o Grupo C, era cabeça-de-série, pelo que evitou alguns dos nomes mais sonantes em prova, como o campeão FC Barcelona e o Real Madrid CF, que também terminaram em primeiro lugar nos respectivos agrupamentos. Desta forma, o Zenit, de Danny e Bruno Alves, regressa a Portugal, isto depois de já ter jogado no Estádio do Dragão, na fase de grupos, onde empatou 0-0. Na Rússia venceu os "dragões" por 3-1.
Para além deste embate, destaque também para o emocionante encontro entre SSC Napoli e Chelsea FC, de André Villas-Boas. Um regresso dos napolitanos a Inglaterra, após terem defrontado o Manchester City FC. O campeão europeu Barcelona vai ter de ultrapassar o Bayer 04 Leverkusen para continuar a sonhar em tornar-se na primeira equipa a revalidar o título europeu desde a criação da UEFA Champions League. O Real Madrid, de José Mourinho, Cristiano Ronaldo, Pepe, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão, encontra o PFC CSKA Moskva.
O AC Milan, que conquistou o último dos seus sete títulos em 2007, vai jogar com o Arsenal FC − que ganhou por um total de 2-0 frente aos italianos nesta mesma fase da prova em 2007/08. As primeiras mãos realizam-se a 14/15 e 21/22 de Fevereiro, com as segundas mãos marcadas para 6/7 e 13/14 de Março.
Fonte; Uefa

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Anelka deixa Chelsea FC, de Villas Boas.


Add caption


Nikolas Anelka deixa Chelsea FC, e ruma à China.

Anelka, já é oficialmente jogador dos chineses do Sanghai Shenhua.

O Chelsea FC, através de uma curta nota de informação colocada no seu site oficial, confirmou a transferência do avançado francês a título definitivo, nesta janela de transferências de janeiro.
Nikolas Anelka, aparece já como a figura de proa da equipa do Sanghai Shenhua, uma vez que é já o rosto de abertura do site deste clube da China. Nesta foto, Anelka aparece com o equipamento e emblema do clube da cidade de Shanghai, que foi fundado em 1993.

Com 32 anos, Nikolas Anelka, conta já com um extenso e espantoso curriculo desportivo, com passagens por clubes do topo do futebol mundial, como sejam o Real Madrid, Arsenal, Liverpool, Paris Saint-Germain, e mais recentemente o Chelsea.

Contratado na altura por 15 milhões de libras, recorde-se que Anelka chegou a Stamford Bridge em 2008, apontado desta essa data 59 golos em 185 jogos disputados, envergando a camisoal do Chelsea FC. 

Continua assim Nikolas Anelka, fabuloso jogador e temível ponta de lança, de nacionalidade francesa a colecionar camisolas de grandes clubes, bem como alguns grandes somas de cifrões para a sua conta pessoal.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Chelsea em crescendo, sobe ao 4º lugar.


Frank Lampard converteu um penalty na recta final e permitiu ao Chelsea FC operar a reviravolta (2-1) no marcador na recepção ao Manchester City FC, conjunto que assim sofreu a primeira derrota da época na Premier League em Stamford Bridge.

Numa noite de chuva em Londres, o Manchester City protagonizou um arranque perfeito de jogo, com Mario Balotelli a precisar apenas de dois minutos para inaugurar o marcador. O internacional italiano apareceu nas costas de John Terry após um excelente passe de Sergio Agüero, e bateu o guarda-redes Petr Čech com uma finalização de classe. 

Por cima na primeira meia-hora do encontro, o City, imbatível nas 14 rondas anteriores da prova, viu o Chelsea chegar ao empate aos 34 minutos, quando Raul Meireles (José Bosingwa também foi titular) deu o melhor seguimento ao cruzamento de Paul Sturridge.

Sturridge podia ele próprio ter feito o segundo golo dos "blues" logo após o intervalo, quando errou o alvo por muito pouco, sendo que os anfitriões aumentaram ainda mais o seu domínio a partir do momento em que Gaël Clichy viu o segundo cartão amarelo e o correspondente vermelho, devido a uma falta sobre Ramires. 

Lampard, que substituiu Meireles, decidiu a contenda no minuto 81, ao não falhar da marca de grande penalidade, depois de Joleon Lescott ter cortado a bola com o braço no interior da sua grande área. 

O City continua com dois pontos de vantagem na liderança, ao passo que a formação de André Villas-Boas subiu ao quarto lugar.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Benfica iguala FC Porto, no topo da Liga.


Um golo de Óscar Cardozo, a cinco minutos do fim, quebrou a resistência do Marítimo e manteve o Benfica a par do FC Porto no topo da Liga portuguesa, enquanto Rio Ave e União de Leiria alcançaram triunfos importantes na luta pela manutenção.

Depois de ter visto o FC Porto derrotar o Beira-Mar no sábado, o Benfica – que tinha sido eliminado da Taça de Portugal pelo Marítimo, igualmente no Funchal, há pouco mais de uma semana – voltou a sentir muitas dificuldades na Madeira e apenas conseguiu marcar a cinco minutos do fim, diante de uma formação que atuou desde os 47 minutos reduzido a dez jogadores, devido à expulsão de Olberdam por acumulação de cartões amarelos. 

Excessivo zelo por parte do árbitro Jorge Sousa, já que a falta, se é que existiu contato entre os jogadores, foi no meio campo e junto à linha lateral.

Cardozo desperdiçou excelente ocasião pouco depois da meia-hora, ao atirar ao lado com a baliza à sua mercê, na sequência de um cruzamento de Maxi Pereira, mas emendou a mão ao surgir no local certo na pequena área e empurrar a bola para o fundo da baliza do Marítimo, após alguns ressaltos, fazendo o seu sétimo remate certeiro na prova.

O triunfo permitiu ao Benfica voltar a igualar o FC Porto nos 30 pontos na frente da tabela, o que acontece desde a quinta jornada, ao passo que o conjunto da Madeira voltou a perder após o desaire na segunda ronda em Braga e mantém o quarto posto.

James Harrison, pode enfrentar 1 a 2 jogos de suspensão.


A NFL, está ainda a determinar se a suspensão de James Harrison dos Steelers poderá chegar a 2 jogos, devido à sua agressiva e enérgica placagem de capacete contra capacete, no adversário dos Browns, Colt McCoy.

Recordemos que no ano passado, James Harrison foi multado em 125.000 dólares por vários hits e penalidades, que foi cometendo durante o campeonato.

Não é assim de estranhar, que James Harrison, seja apelidado e apontado como o bad boy da NFL. Por esse facto, e por já ter sido avisado demasiadas vezes, a NFL quer tomar uma decisão dura contra este jogador, para que o mesmo seja um exemplo para todos.

As questões disciplinares de James Harrison, não são cometidas só em campo contra os seus adversários, mas também fora dele, como por exemplo na entrevista que concedeu a um jornal local, em que se referiu ao comissário da NFL, com as seguintes expressões; "bandido", "diabo", "estúpido" fantoche" e "ditador", entre outras coisas.

Mais tarde, James Harrison dos Steelers, se desculpou pelos comentários emitidos, mas temos a certeza de que o comissário da NFL, não se esqueceu do assunto.

Vikings' Adrian Peterson out vs. Lions


Os Minnesota Vikings, ficaram sem o concurso do running back Adrian Peterson, para o 3ª jogo da NFL, neste domingo.

Add caption
Peterson fica assim na lista dos inativos este domingo em Detroit, já que sofreu uma deslocação do tornozelo esquerdo, tendo Gerhart Toby, entrado para o seu lugar, como defesa de profundidade.

Os Minnesota, tem o quarterback Chistian Ponder escalado para a equipa principal, apesar deste novato, só recentemente recuperou de algumas debilidades físicas, já que sofreu no passado jogo, uma violenta pancada na coxa.

No início do jogo, os Detroit não tiveram na sua equipa o running back Kevin Smith, já que este ainda se encontra a recuperar de uma lesão no tornozelo direito.

Os Leões, estão sem segurança defensiva para uma segunda partida consecutiva, já que Louis Delmas ( joelho direito ) e o cornerback Chris Houston ( joelho esquerdo ) estão a recuperar das suas lesões.

Para além destes lesionados, o rookie da linha defensiva Nick Fairley, também se encontra inativo, depois de ter sido dado como questionável, já que apresentava um ferimento num pé.

Muitas dificuldades para os Minnesota Vikings, frente aos Lions.